quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Night Strike!

Ontem à noite, eu e o meu primo Alexandre Miguel, fomos fazer uma investida ao sítio do costume. Mas decidimos ir para uma zona rochosa, já que a Lua Nova estava a proporcionar uma maré de grande amplitude, estando a chegar à baixa mar passado cerca de duas horas de começarmos a pescar, por isso fomos ver se enganava-mos algum que pudesse andar nos caneiros e nas zonas de espuma entre as pedras, que não deviam ter mais que dois palmos de água.
No sítio inicial deparamos com bastantes limos, o que nos obrigou a mudar de sítio, pois nem os vinis conseguiam trabalhar no meio de tanta alga.
Num caneiro com alguma profundidade entre duas enormes pedras, começamos a bater esse canal com vinis.
Nada.
Até que decidi arriscar uma Flashminnow 110 SP Aurora Mackerel, o risco não era de prender no fundo, pois o sítio tinha alguma profundidade, mas sim acertar sem querer em cima de uma das pedras estavam fora de água, e eu sabia que naquele local, normalmente os seabass estão por detrás dessas duas pedras, provavelmente à espera que alguma coisa seja arrastada pela escoa das nossas nesse canal.
De dia é mais fácil fazer lançamentos a rasar as pedras...à noite já é um pouco mais complicado, mas arrisquei.
Fiz cerca de 10 lançamentos e nada...
Até que, num deles....Strike! Já tá!
O bicho ainda deu uns arranques porreiros que obrigaram a embraiagem do Daiwa a ceder, mas com a ajuda do meu primo lá o encalhamos e conseguimos apanhar.
Pela força que fez pensei que fosse bem maior, pois a amostra vinha presa de lado...acusou 1,340 gr.





Depois das fotos, no lançamento a seguir, Trauuu!!! Um ataque forte daqueles de robalo crescido, a embraiagem disparou e eu levantei a cana, aguentei-o, até que, quando comecei a recolher, nada....desferrou.
Estava mal picado pensei eu, mas quando fui observar a fateixa traseira da Flashminnow, via-se perfeitamente que estava aberta...
Bem, paciência, umas vezes ganham eles, outras nós.
Com a maré a começar a subir decidimos ir para a areia.
Montamos os vinis das bailas (Super Fluke na cor Ice) , e toca a lançar para a rebentação...
Passado os minutos o meu primo faz sinal que tinha um ferrado.
Depois de alguma luta, já estava na areia.



Uma baila que acusou um 1 kg.
Com um peixe cada um, e já perto da uma da manhã, pusemos as canas às costas e fomos embora com a grade safa.

3 comentários:

Sargollini disse...

Bom relato Pedro

E peixes bem bonitos.


Um abraço
Sérgio

MR disse...

Grande Pedro
vai-te a eles o grande tem de vir, ontem saiu outro á minha frente com 3,650gr apanhado pelo Sargus, eu gradei :( :(, já não tava habituado heheh, mas fiquei contente pelo Sargus ter finalmente apanhado um bicho digno de registo.

Ab

hector200 disse...

Excelentes capturas felicidades

un saludos desde mexico